RISCO DE VIOLÊNCIA SOBRE PESSOAS IDOSAS – TESTE DA ESCALA ARVINI

Felismina Parreira Mendes, Joana Alegria Pereira, Tatiana Filipa Mestre, Laurência Parreirinha Gemito, Otília Brites Zangão, Maria Antónia Chora

Resumo


Objetivo: Testar a Escala de Avaliação do Risco de Violência em Idosos não Institucionalizados, num grupo de pessoas idosas autónomas do Alentejo. Métodos: Pesquisa exploratória, com abordagem quantitativa. Participaram 500 pessoas idosas com idades compreendidas entre os 65 e os 96 anos, do projeto Envelhecer em Segurança no Alentejo - Compreender para Agir, da Universidade de Évora.  Resultados: A Escala de Avaliação do Risco de Violência em Idosos não Institucionalizados é constituída por 27 itens. O Coeficiente de Alpha de Cronbach com um valor de 0,727 revela uma consistência interna aceitável. O ponto de corte que produz a sensibilidade e especificidade máximas para prever o risco de violência sobre as pessoas idosas foi de 4,5 (sensibilidade = 64,9%, especificidade = 80,7%) e a área da curva ROC = 0,812 (0,766 - 0,702, de intervalos de confiança de 95 %). Conclusões: 26,7% das pessoas idosas apresentaram risco de violência. É imperioso desenvolver e aperfeiçoar instrumentos que detetem o risco de violências sobre as pessoas idosas para que todos os profissionais de saúde e outros possam agir precoce e preventivamente no combate à violência sobre as pessoas idosas.   Destacam-se como fatores de risco de violência o fato de ser mulher, o isolamento social e o baixo rendimento. Descritores: Maus-tratos ao idoso, envelhecimento, gestão de risco, promoção da saúde


Texto Completo:

PDF (PT)


DOI: http://dx.doi.org/10.24902/r.riase.2019.5(1).%p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2183-6663

REVISTA INDEXADA: DOAJ| Directory of Open Access Journals