A PERFORMANCE DOS ENFERMEIROS EM SUPORTE BÁSICO DE VIDA

Jorge Miguel Baião Pereira, Céu Mendes Pinto Marques, Maria Paula Pelúcia Canelas

Resumo


A paragem cardiorrespiratória súbita é uma das principais causas de morte nos países desenvolvidos. Os enfermeiros são quem na maior parte das vezes se depara com estas situações, estando a segurança e sobrevivência dos doentes críticos dependente da efetividade da sua intervenção. Neste sentido, pretendeu-se avaliar a performance dos enfermeiros do serviço de urgência em suporte básico de vida, antes e após os mesmos frequentarem uma sessão de formação teórico prática acerca deste tema, e identificar alguns dos determinantes da sua performance. Desenvolveu-se um estudo exploratório-descritivo durante cinco semanas, nas quais foram realizadas 10 sessões formativas em suporte básico de vida, com recurso à simulação, envolvendo 30 enfermeiros. A performance verificada na primeira simulação foi de 77,5% e na segunda de 94,3%. No grupo de enfermeiros que registou uma performance superior na primeira simulação, 93% possuía formação prévia em suporte básico de vida, sendo que destes, 31% havia realizado formação após 2015. No grupo com performance inferior, apenas 63% tinha formação nesta área e nenhum dos enfermeiros havia realizado formação após 2015.

Texto Completo:

PDF (PT)


DOI: http://dx.doi.org/10.24902/r.riase.2019.5(1).%p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2183-6663

REVISTA INDEXADA: DOAJ| Directory of Open Access Journals