Sujeitos, música e carnaval sertanejo no interior de Goiás (Brasil): manifestações artística, lúdica e reveladora de particularidades

Jean Carlos Vieira Santos

Resumo


O presente artigo tem como objetivo central suscitar uma discussão acerca das atuais festas carnavalescas encontradas no interior do estado de Goiás (Brasil). Nessa sociedade, a música sertaneja é colocada como um círculo de interação entre sujeitos, mostrando o poder da transmissão e valorização de aspectos do interior brasileiro. Sendo assim, na primeira fase de construção do trabalho, realizou-se o levantamento bibliográfico, para estabelecer o referencial teórico. Em um segundo momento, referente aos trabalhos de campo, a presença do pesquisador nos “espaços vividos” foi indispensável, com vistas a melhorar a percepção e compreensão de manifestações e festejos de carnaval nas pequenas cidades do cerrado brasileiro, além de vivenciar as implicações das festividades em tais territórios. O recorte espacial da investigação é a microrregião de Quirinópolis, composta pelos municípios de Quirinópolis, Gouvelândia, Cachoeira Alta, Caçu, Itarumã, Paranaiguara, Itajá, São Simão e Lagoa Santa. Como resultado, a pesquisa ressalta a inserção das músicas sertaneja e caipira em todos os momentos festivos da região estudada.


Texto Completo:

PDF

Referências


Agência Goiana do Meio Ambiente [AGMA]. (2005). Estudo Integrado de Bacias Hidrográficas para Avaliação de Aproveitamento Hidrelétrico (EIBH) da Região Sudoeste Goiano. Caçu: Mais Verde/Engevix. [CD-ROM].

Almeida, M. G. de. (2002). Políticas de Turismo e Deline-amento do Espaço Turístico Goiano. In M. G. de Almeida (org.). Abordagens geográficas de Goiás: o natural e o social na contemporaneidade. Goiânia (GO): IESA, pp. 197-222.

Arrais, T. A. (2004). Geografia contemporânea de Goiás. Goiânia (GO): Vieira.

Berger, P. L. (1997). Rumor de anjos: a sociedade moderna e a redescoberta do sobrenatural. (2a ed. W. Boff, & J. Clasen, Trad.). Petrópolis: Vozes.

Bezerra, A. C. A. (2007). Cidade, festa e identidade em tempo de espetáculo. In: A. C. A. Bezerra et al. Itine-rários geográficos. Niterói: Editora da Universidade Fe-deral Fluminense, pp. 171-189.

Bourdin, A. (2001). A questão local. Rio de Janeiro (RJ): DP&A.

Brum Neto, H., & Bezzi, M. (2006, junho). Identidade cultural e organização do espaço na microrregião ge-ográfica de Restinga Seca-RS. Sociedade & Natureza, 18(34), pp. 63-76.

Carvalho, M. A. A. (2008). A (re)construção da palavra pela leitura significativa da escrita: matriz para o ensino de redação. Guarapari: ExLibris.

Corrêa, R. L. (1991). Novas dimensões do urbano no Brasil. Boletim de Geografia Teorética, 42(21), pp. 12-17.

Costa, C. L. (2010). Cultura, religiosidade e comércio na cidade: a Festa em Louvor à Nossa Senhora do Rosário em Catalão – Goiás. (Tese de Doutorado). Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Cruz, R. de C. (2001). Políticas de turismo e território. São Paulo: Contexto.

Dumazedier, J. (1976). Lazer e cultura popular. São Paulo: Perspectiva.

Endlich, Â. M. (2009). Pensando os papéis e significados das pequenas cidades. São Paulo: Editora da UNESP.

Fialho, J. (2016, novembro) O capital social no contexto da teoria sociológica contemporânea. Desenvolvimento e Sociedade, 1(1), pp. 69-82.

Floriano, J. A. S. (2000). Cessou o canto das águas: história da cidade de São Simão. Goiânia: Jasf.

Jeandot, N. (2001). Explorando o universo da música. São Pau-lo: Scipione.

Lemos, C. T. (2007). Religiosidade popular. Goiânia: Deescu-bra.

Maia, C. E. S. (2000). Ensaio interpretativo da dimensão espacial das festas populares: proposições sobre festas brasileiras. In Z. Rosendahl, & R. L. Corrêa (orgs.) Manifestações da cultura no espaço. Rio de Janeiro: Editora da UERJ.

Martins, P. P.; Silva, L. M. da. (2009). Potencialidades de lazer e turismo na Bacia do Córrego Capela: paisagens entre a Serra da Confusão e o Lago Sol Poente. In J. C. V. Santos (org.). Paisagens e destinos turísticos na pesquisa geográfica. Uberlândia: Composer, pp. 27-43.

Melo. N. A. de. (2008). Pequenas cidades da microrregião geográ-fica de Catalão (GO): análises de seus conteúdos e considera-ções teórico-metodológicas. (Tese de Doutorado). Univer-sidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG, Brasil.

Melo, N. A. de., & Soares, B. R. (2009). Pequena cidade, um desafio metodológico: os instrumentos e os recursos para a pesquisa em Geografia. In J. C. de L. Ramires, & V. L. S. Pessôa (orgs.). Geografia e pesquisa qualitativa: nas trilhas da investigação. Uberlândia: Assis, pp. 395-420.

Mota, R. D. & Almeida, M. G. de. (2010, abril). Cultura, festas, identidade e território: perspectivas das Folias de Reis em Goiânia como atrativo no turismo cultural. Anais do Encontro Nacional de Turismo com Base Local, Niterói/RJ, Brasil, 11.

Pereira, A. V. (2005). Bordeira: espaço simbólico, expressões festivas e processos da construção das identidades. Faro: Ti-pografia União, Folha de Domingo Ltda.

Pimentel, S. V. (1997). O chão é o limite: a festa de peão de boiadeiro e a domesticação do sertão. Goiânia: Editora da UFG.

Santos, J. C. V. (2010). Políticas de regionalização e criação de destinos turísticos entre o Lago de São Simão e a Lagoa Santa no Baixo Paranaíba Goiano. (Tese de Doutorado). Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG, Brasil.

Santos, M. (1982). Pensando o espaço do homem. São Paulo: Hucitec.

Santos, R. J. (1999, janeiro/dezembro). Pesquisa empírica e trabalho de campo: algumas questões acerca do conhecimento geográfico. Sociedade & Natureza, 11, pp. 113-129.

Santos, R. J. (2007). As humanidades do cerrado na dialética da festa e do espetáculo. Uberlândia: EDUFU.

Silva, D. G. da. (2010). A importância da música no processo de aprendizagem da criança na educação infantil: uma análise da literatura. (Trabalho de Conclusão de Curso). Univer-sidade Estadual de Londrina, Londrina, PR, Brasil.

Suess, R. C., & Almeida, S. A. de. (2015, junho). O “lugar” de Goiás nas letras de músicas sertanejas: uma abor-dagem geográfica. Caminhos de Geografia, 16(54), pp. 205-223.

Vilela, I. (2008). Música no espaço rural brasileiro. Revista Eletrônica de Turismo Cultural, 2(1), pp. 1-23.

Yázigi, E. (1998). Turismo – uma esperança condicional. São Paulo: Plêiade.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN impresso: 2183-9220   |   ISSN eletrónico: 2184-2647

Revista Indexada no Diretório e Catálogo  do Latindex com o Folio n.º  26777

 Apoios:
CICS.NOVA

Com a colaboração técnica dos Serviços de Informática da Universidade de Évora