Os caminhos sinuosos do desenvolvimento

António Pedro Marques

Resumo


O conceito de desenvolvimento possui, ainda hoje, um lugar privilegiado nas ciências sociais e esse lugar tem tanto de importante quanto tem de polémico. Contudo, não é um conceito ultrapassado, bem pelo contrário. Ele tem vindo a desencadear inúmeras reflexões e a propor variadas formas combinadas de participação tendentes à tomada de decisão e de construção de estratégias integradas de ação coletiva.

A conceção que hoje se tem do desenvolvimento já não se radica apenas na sua dimensão económica. Ficar circunscrito à dimensão económica do desenvolvimento seria muito redutor, pelo que a abordagem do desenvolvimento pode (e deve) ser feita com recurso a outras dimensões - a dimensão política, social e ambiental.

Os pressupostos dos paradigmas da modernização e da dependência e o mito da modernidade universal, passaram de moda e foram relegados para o esquecimento, para dar lugar a novos conceitos de desenvolvimento alternativos, cuja ênfase incidiu na importância do desenvolvimento social, no crescimento do capital humano, no papel e capacidades das comunidades locais no desenvolvimento endógeno.

O desenvolvimento endógeno deve ser percecionado como um processo interligado, cooperativo e autossustentável. É através da responsabilização coletiva que o desenvolvimento endógeno se transforma em processo político, que envolve escolhas e decisões que só é possível tomar articulando o local e o global, o indivíduo e o coletivo e as várias esferas sociais: o Estado, os mercados e as formas organizadas das sociedades. É nestas conjunções que as redes de cooperação se destacam como elementos fundamentais na promoção do desenvolvimento endógeno.

Texto Completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2183-9220

Apoios:

Com a colaboração técnica dos Serviços de Informática da Universidade de Évora